QUAIS SÃO AS ETAPAS DO TRATAMENTO DE ESGOTO?

O Grupo Gestor Local (GGL) de Rio das Ostras, do projeto NEA-BC, a partir de grupo de estudos e da visita técnica realizada no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) do município, tem potencializado o processo de formação para qualificar a incidência política, em prol do saneamento básico.

E com o objetivo de produzir conteúdo de utilidade pública, o GGL tem postado notícias quinzenais nas mídias sociais e site do projeto NEA-BC. Você já conferiu nossas notícias sobre “O que é saneamento básico?” e “Qual o caminho do meu esgoto?”  Ainda não? Ao final dessa leitura, acesse nosso site e fique por dentro!

Hoje vamos falar sobre as etapas do tratamento de esgoto.

Existem 3 tipos de tratamento de esgoto: primário, secundário e terciário. Para que a água resultante do tratamento possa ser lançada nos corpos hídricos, ela deve atender aos parâmetros da Resolução CONAMA 430. O ideal é que toda Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) trabalhe com tratamento terciário.

Vamos entender o funcionamento de cada tipo de tratamento?

TRATAMENTO PRIMÁRIO: É aquele que usa processos tanto físicos (mecânicos) quanto químicos para separar sólidos em suspensão e materiais que ficam flutuando na água. Exemplos: utilização de grades, tanques de decantação, flotação, separadores água e óleo (SAO), tanques de equalização, neutralização de pH etc. IMPORTANTE: O efluente que passou pelo tratamento primário ainda não está apto a ser lançado no ambiente! Nele só houve uma diminuição da carga orgânica!

TRATAMENTO SECUNDÁRIO: A degradação da matéria orgânica ocorre naturalmente nos corpos hídricos, porém lenta, através de microrganismos biodegradadores. Mas o aumento de matéria orgânica pode causar a eutrofização do ambiente (falaremos mais detalhadamente sobre o assunto na próxima postagem). O tratamento secundário então, também chamado de tratamento biológico, é onde esse processo de degradação da matéria orgânica é acelerado. São usados microrganismos para a retirada de substâncias biodegradáveis presentes no efluente que acabou de sair do tratamento primário. Esse processo pode ser na presença de oxigênio (aeróbio) ou na ausência (anaeróbio). São exemplos de tratamentos biológicos: lagoas de estabilização, lagoas aeradas, lodos ativados, filtros de percolação, biodiscos e reatores anaeróbicos.

TRATAMENTO TERCIÁRIO: Os tratamentos terciários de efluentes consistem em técnicas físico-químicas ou biológicas para a retirada de poluentes específicos que não foram retirados nas duas etapas anteriores. Alguns desses poluentes específicos podem ser matéria orgânica, compostos não biodegradáveis, metais pesados e nutrientes (Nitrogênio e Fósforo, por exemplo). São exemplos de técnicas do tratamento terciário: microfiltração, precipitação e coagulação, adsorção, troca iônica, osmose reversa, ultrafiltrarão, eletro diálise, cloração e ozonização.

Qual tipo de tratamento utilizado na estação de tratamento de esgoto do seu município?

Você julga eficiente?

Tem visto investimentos no setor para que a universalização do acesso ao serviço de esgotamento sanitário seja alcançada?

Estude, reflita e participe da gestão do seu município!

Fique conectado para não perder nossa próxima notícia sobre o efeito do esgoto nos corpos hídricos!!!

#neabc #saneamento #saneamentobásico #controlesocial #gestãoparticipativa #Educomunicação #Conhecimento

Nenhum comentário

Leave a comment